segunda-feira, 6 de maio de 2013

Historia Movimento Café Racer e Movimento Brat Style

Hoje vou contar sobre esse dois movimentos e a paixão de três jovens Londrinenses por esse estilo.





Movimento Café Racer

Visto hoje como um dos movimentos mais influentes do mundo das motocicletas. Cafe Racer é um termo que não define simplesmente um tipo de motocicleta, mas sim a fusão entre homem e máquina.
Com a sua aparência espartana e estilo agressivo, a Cafe Racer é um tipo de moto das mais reverenciadas no mundo.
Se não fossem os café racers a transformarem suas motos de rua com intuito de fazê-las cada vez mais potentes e com uma performance melhor de pilotagem, talvez os fabricantes não viessem a desenvolver e produzir as sportbikes da maneira que conhecemos hoje.
O movimento nasceu em Londres em meados de 1950, fazendo parte de uma sub-cultura englobando o desejo de velocidade, um amor pelo rock and roll e, finalmente, um amor incondicional pelas motocicletas, que hoje está sendo revivido em todo o mundo.
O lado humano do Cafe Racer veio de uma combinação perfeita para este tipo de motocicleta. Os pilotos destas máquinas eram jovens, e eles queriam ir ao limite da velocidade. O objetivo de muitos pilotos durante os anos 50 foi de atingir 

100 milhas / hora ( 160Km/h), mais conhecido como "The Ton" (a tonelada).


"O termo Café Racer nasceu da idéia de caras que percorriam os cafés nas estradas com suas motos esperando que alguém aparecesse por lá com uma moto potente, para ser desafiado a um racha até determinado trecho da estrada, voltando ao café.Na volta normalmente haviam caminhoneiros nestes cafés de beira de estrada que diziam a estes garotos: " Você não é um piloto de verdade, é apenas um café racer" - Como forma de deboche, comparando-os a pilotos de corrida da época.
Mal sabiam estes caminhoneiros que o grande barato destes pilotos era esse mesmo. Um dos berços Café Racer foi o Ace Café de Londres.
O Ace foi um dos muitos cafés que oferecia um local de encontro para adolescentes e suas motos nas décadas de 50 e 60. Muitos, como o Busy Bee e Café Sol Nascente sucumbiram e acabaram demolidos, enquanto outros, como Jack Hill e Café Bar Squires tem sobrevivido, com eventos anuais de Ton-Up.
Em 1994 o motociclista Marcos Wilsmore reabriu o Ace Café. Ele diz que o Rock ajudou muito para que o movimento Cafe Racer não morresse:
"Esses garotos aqui, são a geração do rock-and-roll; A idéia era compra o veículo mais rápido que podiam pagar, no caso, uma moto.
Eles queriam transformar as suas motos de rua em algo mais próximo possível das motos pilotadas por heróis da motovelocidade na época, como Mike Hailwood e Geoff Duke.
Chegar ao " The Ton", tornava-se questão de honra, independentemente de quem ganhasse a corrida.




Era algo quase impossível para os motores bi-cilindricos paralelos de 650cc da época. Para chegar ao "The Ton" era necessário gastar rios de dinheiro e ter excelentes acertadores de motor e ainda assim era bem arriscado, pois nem os pneus, nem os freios da época seriam capazes de segurara máquinas tão poderosas.
As estradas também não eram o que são hoje, a iluminação era péssima e o rastro de óleo deixado por carros e caminhões no meio da pista, se tornava uma armadilha a cada curva. Vítimas de seus próprios erros, buscando sempre a melhor performance os "Rockers", como eram chamados, chegaram a criar motos que ainda hoje são respeitadas pelos apaixonados por velocidade.
Os " Rockers " fizeram e fazem parte de tudo que citamos acima, motivo pela qual a cultura Café Racer está viva até hoje não só nas ruas de Londres, mas em todo o mundo.
Os entusiastas de todas as idades estão mais uma vez, construindo motos em suas garagens, customizando-as de maneira a adquirir uma melhor performance, visual agressivo, ouvindo o bom e velho rock´n´roll e essas máquinas, essa vontade, esse vício, mantém a tradição do Café Racer.

Movimento Brat Style

O estilo Brat é muito popular nos E.U.A e também no Japão, o estilo nasceu de um hibrido dos estilos de motocicleta Cafe racer e Bobber. Apesar de ser um estilo relativamente novo, já é muito apreciado por todos cantos do mundo. O estilo não segue uma regra de estética pré estabelecido, mas basicamente tem por característica o visual (clean) que no português significa limpo, nada poluído.
 Por buscar em seu visual o mínimo de acessórios e adereços. Inicialmente o estilo se iniciou por jovens admiradores do motociclismo que não possuíam alto poder aquisitivo para adquirir motos de marcas já conceituadas no mercado como as harley davidson, triumph entre outras mas não queriam deixar de sentir o vento no rosto e o prazer que só uma motocicleta é capaz de proporcionar.
 Dessa forma iniciou-se o estilo Brat, mais conhecido como Brat Style, brat no português significa pirralho, apelido este dado pelos motociclistas que até então não tinham dimensão que este seria um estilo custom tão admirado em todo o mundo. 

A cultura custom tem como principal fator de proporcionar aos admiradores de motocicletas a liberdade que cada pessoa tem em deixar sua motocicleta com sua própria cara e monta-lá de acordo com seus gostos pessoais, o que é impossível quando se adquire uma moto em uma loja que fabrica suas motos em série.


Hoje em dia nos E.U.A  já existem lojas especializadas no assunto para aqueles que admiram as motos custom e querem ter a sua sem o trabalho de elaborar todo o projeto. Essas oficinas vêm ganhando força e forma ao redor do mundo.
Contudo os proprietários de motos custom em sua grande maioria dizem que não existe preço que pague poder elaborar o seu próprio projeto e afirmam com muito entusiasmo que aquela moto se trata de um projeto único e de total autoria.



A paixão de três jovens londrinenses por esses dois estilos resultaram em três projetos únicos, são eles: 

HONDA CG 125 - 1977




Sempre fui admirador de motos e carros antigos, minha primeira moto foi uma Yamaha DT de 1985 que restaurei completamente ao seu original, parecia recém saída da loja, eu tinha muito carinho por ela, por toda parte que passava com ela comentavam comigo q era a DT mais conservada que já haviam visto. Mas meu primeiro contato com as motos custon foi através de um amigo que customizou sua Harley Davidson 883 no estilo Cafe racer, a parti dai tomei interesse em iniciar meu projeto, vendi minha DT e comprei minha Honda de 1977. Com o valor que havia sobrado da venda da DT apos a compra da Honda passei a pesquisar pecas para a customização e então pela internet descobri o estilo Brat. Foi paixão a primeira vista e então estava decidido que seria este o estilo da minha moto. Buscando referencias na internet e com apoio de uma amigo e mecânico de confiança iniciei o projeto da minha Honda 1977 no estilo Brat. Em menos de 2 meses minha moto já estava rodando e apos isso algumas modificações ainda foram feitas. A partir de então minha paixão por motos customs só fez crescer, fiz novos amigos e alguns deles também tomaram gosto pela customização, o que me traz orgulho, pois pude contribuir de certa forma para trazer mais simpatizantes para a cultura vintage custom.
Minhas principais influencias foram as motos dos anos 50 e cultura rockabilly também dessa década. Andar de moto é uma paixão e me proporciona um prazer indescritível. Gabriel Arcoverde.



HONDA CB 400 II - 1982

A primeira moto que comprei foi uma Yamaha Virago 1999 no estilo Bobber, eu até então não gostava de motos, nunca fui muito fã até ter a minha primeira. Ao fazer pesquisas na internet sobre como melhorar a minha moto, acabei conhecendo o estilo café racer e brat, a primeira coisa que perguntei aos meus amigos foi "será que consigo fazer isso com minha moto?", mas infelizmente sua estrutura não era compatível. Em uma viagem a São Paulo, comentei com um primo meu que gostaria de comprar uma Honda CB dos anos 80, e na hora ele disse que tinha uma que estava parada a muito tempo em sua garagem. Assim que comprei a moto, trouxe-a de SP e logo comecei meu projeto Brat! Demorou alguns meses para a moto ficar pronta, e recentemente terminei o projeto. O legal é que ainda posso fazer alterações nela sempre que quiser, pois o estilo permite e é viável.

Eu tive por base modelos americanos como Triumph, BSA, Norton e outros mais. Hoje não passo uma semana se quer sem tirar minha moto da garagem para rodar com os amigos, sou apaixonado por ela, e ainda tenho projetos de montar outras no mesmo estilo com modelos diferentes! Estello Avilino Neto




HONDA CB 400 II – 1983





Sempre fui apaixonado por motos, durante minha infância e adolescência meu pai sempre possuiu moto, o que sempre me gerou um interesse desde cedo.
Porém minha primeira moto efetivamente eu adquiri há pouco tempo atrás, influenciado por amigos que estavam customizando suas máquinas. Procurei por aproximadamente 6 meses até achar exatamente a moto que eu queria. O processo de modificações durou aproximadamente 3 meses,  onde basicamente tirei 30 kg de peso da motocicleta, deixando ela mais leve e veloz, como manda o movimento Café Racer, e com influência do movimento Bratstyle a moto ficou mais enxuta e seca, sem muitos acessórios.
Muito influenciado nas dicas de amigos e em buscas pela internet, cheguei ao 
resultado atual, porém afim de deixá-la ainda mais agressiva e veloz irei encostá-la no inverno para realizar uma alteração na estrutura (quadro) da motocicleta e no sistema de carburação. Hoje com to certeza meus dias são mais felizes, todos os finais de semana sem exceção saio com ela para dar uma volta com os amigos. O prazer de pilotar uma máquina dessas é sem igual! Samuel Bruder

Confiram mais fotos desses belos projetos.
  


imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com



imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com



imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com imagebam.com





Fotos: Marcus Vinícius
Apoio Técnico: Delfino Mattos
Texto: Samuel Bruder 


9 comentários :

  1. alexandrelondrina7 de maio de 2013 09:39

    Ótima matéria!!!! um pouco de história sempre é bom!!! Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito Legal!
    Felicidades Estelo!


    Saludos a todos desde Chile!

    ResponderExcluir
  3. Fiz uma postagem indicando essa matéria. Caso queiram, podemos fazer uma matéria também na Garagem Cafe Racer:

    http://garagemcaferacer.blogspot.com.br/2013/07/dica-de-leitura-ldb-machines.html

    ResponderExcluir
  4. Muito boas as motos rapazeada! Me cativou especialmente a CGzinha, a pequeninha subestimada por todos.. to com intenções de fazer uma cg café racer, só falta achar a candidata certa.

    ResponderExcluir
  5. Excelente matéria! Fiquei impressionado com a CB 400 83. Muito clean. Seria possível mais fotos e/ou informações da motoca?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glauco que bom que gostou da matéria,sobre a moto o dono dela deu uma modificada nela agora ele esta toda preta,mas você pode tentar entrar em contato com o proprietário pelo Face Book /samuel.bruder?fref=ts
      assim fica mais fácil obter mais informações sobre a moto.

      Atenciosamente
      Marcus Vinícius

      Excluir